Escolha uma Página

Hoje em dia todos os negócios na Internet podem ser globais. A facilidade de contratar tradutores, escalar seu tráfego e suas vendas e fazer com que seus públicos sejam alcançados não importa onde morem ou que idioma falem é MUITO maior do que 5 anos atrás.

Pensando nisso, que importância tem a internacionalização (i18n) dentro da sua estratégia de SEO?

E, ainda além, por que usar links relativos sempre facilita muito nessa tarefa?

Como participante de muitas rodas de conversa sobre Marketing Digital (tanto em reunião com clientes quanto em papos de bar), presenciei uma questão frequente e que aumenta nos últimos anos: como escalar o seu negócio?

Nós, brasileiros, temos o rei na barriga quando se trata de mercado internacional. Raramente tocamos no assunto, já que temos um mercado com 200 milhões de possíveis clientes que falam nosso idioma. Além disso, o medo de tratar com uma logística internacional e com ainda mais burocracia faz muitos empreendedores não darem esse passo.

Mas, se você trabalha com um produto digital, a única coisa que te impede é sua falta de ação. Qual o problema em traduzir seu ebook para Português de Portugal, por exemplo? Você não quer ganhar em Euros, né? Entendi.

Disclaimer.
Internacionalização é uma palavra gigantesca. Por isso, vou revezar usando o encurtador i18n.

(i18n porque em Inglês é internationalization. Entre o “i” e o “n” tem 18 letras.) Obrigado pelo ensinamento, Clóvis Santos

Como Começar?

Como tudo em SEO, é necessário planejamento e expertise para que não haja necessidade de muito retrabalho no futuro.

Mas, pode-se dizer que é necessário os dois pontos abaixo:

  1. ter conteúdos similares em dois ou mais idiomas;
  2. relacionar esses conteúdos entre si.

Não se assuste, mas o ponto 2 é muito mais complicado que o ponto 1 e eu vou te explicar o porquê logo abaixo.

Ponto 1: ter conteúdos similares em dois ou mais idiomas

 

Voltando ao tópico: para ter um conteúdo internacional é, aparentemente, fácil. Basta você ter um conteúdo e transformá-lo em internacional. Você pode fazer isso de duas principais formas:

 

Apenas traduzindo de um idioma para outro;
Você pega o artigo sobre “as dez lojas virtuais mais famosas do mundo” e posta em Português do Brasil e Espanhol da Argentina. Ok, sem problemas. É uma forma de se fazer

Criando conteúdos localizados, personalizando por país;
Utilizando a mesma ideia, você cria dois artigos: um para o mercado da Argentina e outro para o mercado brasileiro. Eu prefiro essa estratégia, pois você está entregando pro usuário algo mais útil e que faz mais sentido para o dia a dia dele. A chance de compartilhamento é muito maior.

Como Começar Seu Conteúdo Focando na Internacionalização?

O conteúdo para internacionalização pode estar em um desses dois estágios:

A) você vai começar a criar os artigos agora, fazendo tudo do zero.

B) você já tem artigos e quer internacionalizá-los, criando as versões internacionais.

Meu ponto de vista que é melhor já começar certo, mas muitas (se não todas) as empresas mal fazem um plano de negócio, quanto mais pensam em expansão i18n antes mesmo do primeiro artigo em seus sites.

Resumo: apesar de preferir a opção A, provavelmente você vai se deparar com a opção B.

Ferramentas para Internacionalizar seu Conteúdo

Vamos partir do pressuposto que você quer traduzir e internacionalizar o conteúdo. Vou passar algumas ferramentas que conheço que podem te ajudar a realizar essa não tão difícil tarefa de gerenciar a tradução e adaptação do conteúdo de um site (e blog, provavelmente) para outros idiomas.

Google Sheets

Esquece o Excel. Você só quer ter uma planilhinha que vai compartilhar com os freelancers sobre o status de cada tradução, dos pagamentos e tudo mais.

Deixe seus freelancers só com poder de comentar nas células e seja feliz.

UpWork / 99 freelas…

Qualquer plataforma de freelancers vai te trazer uma baciada de profissionais que trabalham com isso remotamente. Não invente de contratar alguém alocado porque vai custar muito mais caro e se a pessoa ainda topa alocado é porque não tem experiência.

VoiceBunny

Muito legal esse serviço para quem faz narrações e precisa de traduções. Eles possuem atores de vozes em vários lugares do mundo e podem traduzir para você em até 4 horas. É incrível.

Se você tem um jingle e precisa adaptá-lo, é uma opção.

qTranslate WP

Se o seu site é em WordPress, o qTranslate é minha sugestão. Apesar de outras serem mais famosas, eu gosto dele por ser bem manual e permitir várias configurações boas para SEO.

Ponto 2: Relacionar Esses Conteúdos Entre Si

Agora que temos todos os conteúdos, vamos falar para o Google os buscadores que eles são versões alternativas de um mesmo tópico, mas em diferentes URLs.

A parte técnica, basicamente, se resume a:

 Toda página deve referenciar a sua versão em outros idiomas, quando e enquanto houver.

Essa referência pode se dar de várias formas e não vou entrar nesse ponto porque a documentação do Google já é monstruosa sobre isso. Mas você tem as opções de fazer isso no <head> de cada página ou pelo sitemap.xml (forma mais fácil, ao meu ver, porque depende mais do SEO do que do dev).

Para explicar os pormenores aqui, pensei em mostrar as perguntas que já ouvi sobre esse assunto:

Subdomínio ou subdiretório?

Lá vem essa pergunta de novo. Dá para fazer acontecer com as duas formas. Mas, se fosse para começar do zero um site internacional hoje, eu iria de subdomínios de um domínio .com, porque quando você acessa um site seu navegador informa o servidor sobre seu idioma e localização, aí o visitante pode ser redirecionado para a versão mais interessante. O que eu faria:

  • divulgaria mundialmente o meu site exemplo.com, que direcionaria:
    • para br.site.com quando os brasileiros acessassem;
    • para usa.site.com quando os gringos acessassem;
    • ca-en.site.com quando os canadenses que falam Inglês acessassem e ca-fr.site.com quando os francófonos acessassem.

fato curioso: a África do Sul tem 11 idiomas oficiais. Imagina os sites do governo lá!

Como fazer com artigos em diferentes versões do mesmo idioma? Tipo Inglês dos EUA e Inglês do UK?

Cada idioma tem seu código. en-US é diferente de en-UK, que é diferente de en-ZA e assim por diante. O mesmo se dá para Espanhol. Só dar um Ctrl+F nessa página da Wikipedia e partir pro abraço.

Quem pode me ensinar mais sobre isso?

Eu realmente sou fã do trabalho da Aleyda Solis (o engraçado que o site .com dela é em Espanhol e o .com/en é que é o em Inglês);

Vale muito a pena ler os slideshares dela e todo o conteúdo do site.

Por que não usar canonicals, se são versões parecidas da mesma página?

Ao usar canonicals você vai escolher entre duas páginas e essa não é sua intenção. Você quer que ambas rankeiem bem, em seus idiomas e países específicos.

Nesse caso, a canonical é auto referenciada (maioria das vezes) e aí os links do hreflang saem pra todas as versões.

E se eu tenho uma versão mobile em um site separado?

Espero que seu orçamento para SEO seja olhando o longo prazo! Bem, para sites mobile com versões separadas (os famosos m.site.com) a situação complica um pouco mas quase nada, se você se planejar direito.

Vamos imaginar o cenário mais caótico possível para mostrar que é possível. Além do m., o site ainda tem o blog em um subdomínio (blog.site.com) e o artigo é “dez ferramentas para SEO”.

versão desktop pt-br
blog.br.site.com/seo/dez-ferramentas-seo
versão mobile pt-br
m.blog.br.site.com/seo/dez-ferramentas-seo

versão desktop en-us
blog.usa.site.com/seo/ten-seo-tools
versão mobile en-us
m.blog.usa.site.com/seo/ten-seo-tools

Nesse caso, as URL’s mobile vão apontar para as versões em outros idiomas da versão mobile (m. sempre referenciando m.) e as suas próprias versões desktop (m. só referencia desktop quando for no mesmo idioma).

Mesma coisa com as versões Desktop: só referenciam mobile no próprio idioma e desktops em outros idiomas.

Para ficar ainda mais claro, ficaria como na imagem abaixo, onde o “alternate” é bem explicado aqui:

hreflang e alternate com exemplo

gráfico mostrando como dois sites relacionam

Links Absolutos ou Links Relativos?

Na minha experiência, na questão da internacionalização, links relativos facilitam o trabalho. A própria imagem acima mostra que links relativos facilitam também quando se tem um site mobile separado (m.site.com, no exemplo).

Conclusão

A estratégia de internacionalizar um site é poderosa, mas trabalhosa.

Você vai atingir novos mercados, públicos, vai ganhar tráfego e moral com os buscadores. Organizar o conteúdo dessa forma é tudo que eles mais incentivam.

Não se esqueça, porém, que a internacionalização de conteúdo é uma tarefa eterna e que deve ser incorporada à cultura da empresa. Os resultados serão vistos por todos e, se houver um milagre, vão lembrar do SEO que sugeriu essa loucura naquela reunião de 6 meses atrás!

E tem quem diga que SEO é só Titles e Descriptions …