Escolha uma Página
Checar Favicon via Bookmarklet

Checar Favicon via Bookmarklet

Olá a todos.

Esse é um post rápido só para compartilhar como checar seus favicons (ou o favicon de outros sites) aos olhos do Google com uma bookmarklet.

O código que você precisa adicionar aos seus favoritos é esse:

javascript:void(window.open(%27https://www.google.com/s2/favicons?sz=32&domain=%27+window.location.href,%27_blank%27));

Basta:

  1. Clicar com o botão direito na sua barra de favoritos
  2. Clicar em Adicionar Página
  3. Dar um nome qualquer (como “Favicon Checker”)
  4. Copiar o código acima no campo URL (ou endereço)

Para usar basta clicar na Bookmarklet.

Vai ficar parecido com isso

Espero ter ajudado!

Como Adicionar uma Propriedade no Google Search Console e Dar Acesso Para Alguém

O Google Search Console (que eu vou chamar carinhosamente de GSC a partir de agora) é a suíte de ferramentas do Google voltada para atender os SEO’s.
Da mesma forma que existe o Google Ads para os anúncios e o Google Analytics para a mensuração de dados em geral, o Google Search Console te mostra como o Google enxerga seu site.
Por isso, nesse artigo eu mostro para você (e para os meus clientes) como criar a sua conta na ferramenta, como adicionar o seu site e como me dar acesso, porque eu vou precisar para poder analisar o seu site com mais confiança!

Como criar sua conta no Google Search Console.

Agora você vai acompanhar o passo a passo de como criar sua conta no GSC.

Passo 1: Acesse webmasters.google.com

Clique aqui e acesse o site do Search Console. Ele tem essa URL porque é a central dos Webmasters aos olhos do Google e também porque, no passado, o Search Console se chamada Webmaster Tools.

Basta clicar no botão Search Console que você vai ser redirecionado para uma página com a imagem abaixo.

Passo 2: Clique em Iniciar Agora

como se cadastrar no Google Search Console - Passo 2 de 7

segunda imagem do passo a passo de como se cadastrar no Google Search Console

Nessa página, apesar de parecer um pouco de enrolação, há uma boa explicação do que o Search Console é capaz de fazer. Basta clicar em Iniciar Agora para continuar.

Passo 3: Crie Sua Conta Google

Qualquer opção abaixo é válida para já fazer login:

  • Gmail;
    Seu email como pandraus@gmail.com, onde você tem uma conta Google daquelas grátis. Pode utilizá-la sem problema.
    Obviamente, todos que tiverem acesso à essa conta terão acesso aos dados do seu Search Console.
  • Gsuite;
    Email seunome@suaempresa.com.br. $10 por mês e vale muito a pena. Eu recomendo de olhos fechados pois você tem um Google Drive quase ilimitado e acesso à outras ótimas ferramentas de graça.
  • Conta Google.
    Você pode ter uma conta Google no seu email empresarial, mas ela não terá acesso às vantagens que a GSuite proporciona como Gmail, GDrive, GDocs e gerenciamento de equipes, por exemplo.

Se você já tem alguma das opções acima, faça o login e pule para o passo 7.

Caso não tenha, clique em Criar Conta.

Passo 3 de 7 - fazer login ou clicar em criar conta

Se você já tem uma conta Google, faça seu login. Caso contrário, clique em Criar Conta.

 

Passo 4 – Preencha os Dados e Clique em Próximo.

Vale destacar que, se você quiser usar a sua conta @empresa aqui sem ter uma conta do Gsuite, clique no link em destaque. Mas isso não vai te dar acesso ao Gmail e aos outros serviços.

faça login no Google para usar o Search Console

Crie sua Conta ou faça login com o seu email (pode ser até hotmail, outlook ou de outras empresas)

Depois de adicionar os seus dados e senhas, você deve clicar em Próxima e partir para o Passo 5.

Passo 5 – Mais Dados!

Agora você vai colocar quando nasceu e seu telefone. O telefone pode ser usado no futuro para fazer login na conta, caso você esqueça o próprio email.

preencha os dados do telefone, nascimento e gênero do Google Search Console

Preencha esses dados para seguir para o próximo passo do cadastro do Google Search Console

Muito bem! Ao deixar seu telefone, você vai receber um SMS ou ligação para confirmar que esse telefone é realmente seu. Então tenha-o por perto!

Passo 6 – SMS de Confirmação

Tanto no caso do SMS quanto da ligação você vai receber um código para confirmar a sua propriedade (no caso, a propriedade do telefone, ainda).

Confirmação do telefone no Google Search Console

Confirmação do Telefone

Passo 7 – Aceite o Acordo

Não há muito o que se fazer aqui. Ou você aceita, ou nada de GSC para você!

Clique em Aceitar o Acordo do Google Search Console

Aceitar o acordo e ter acesso ao GSC

 

Passo 8 – Bem vindo ao GSC!

Olha que tela bonita, tão cheia de graça!

Tela de Boas Vindas ao GSC

Bem vindo ao Google Search Console!

Agora você vai adicionar a propriedade e não tem outras opções, então é só ir seguindo.

Primeiro você clica em Adicionar Site e preenche a URL do seu site.

Importante: se você tem versões com www, sem www, subdomínios e versões com HTTPS e sem HTTPS, todas são consideradas diferentes.

Adicione uma por uma e repita esse procedimento quantas vezes por necessário.

O mesmo vale para aplicativos e sites mobile com m.exemplo.com, por exemplo.

Passo 9 – Verifique sua propriedade no Google Search Console

Agora chegou a hora de você mostrar que você realmente é o dono do seu site. Caso contrário, eu poderia ter acesso aos dados do facebook.com, né 😀

Existem várias formas de fazer isso. A mais recomendada pelo próprio Google é inserindo um arquivo HTML na raíz do seu site com a URL em questão.

No exemplo abaixo, você tem que jogar o arquivo na raíz, para que ele fique acessível em https://www.sitedocliente.com.br/google4812e25e524315ff.html

Ao acessar essa URL e ver o código dentro dela, o Search Console consegue confirmar essa propriedade.

Verificar propriedade no Google Search Console usando um arquivo HTML

Verificar propriedade usando um arquivo HTML

Eu, pessoalmente, prefiro a forma da inserção de Tag HTML no <head> do site, onde você vai adicionar esse código e clicar em Verificar depois.

verificar search console com tag

Verificando Search Console usando uma tag HTML

Existem também outras formas de fazer isso, como mostrado na imagem abaixo.

Verifque seu Search Console com essas alternativas

Alternativas para Verificar o seu Search Console

Após usar qualquer uma das formas acima, basta clicar no nome do site para que ele seja checado e verificado!

Finalizar a verificação do Google Search Console

Finalize a verificação do Google Search Console

 

Agora chegou a hora de dar acesso dessa conta do Google Search Console para alguém.

Como Dar Acesso ao Google Search Console a outra pessoa.

Ao abrir o seu painel do GSC você vai ver a lista de propriedades que você tem acesso.

Clique na propriedade que você é Administrador em Gerenciar Propriedade e depois em Adicionar ou Remover Usuários.

Como dar acesso ao Google Search Console

Como Dar Acesso ao Google Search Console

A próxima janela será como essa, abaixo. Basta clicar em Adicionar Usuário e depois preencher o email que você deseja permitir que visualize suas informações.

Veja aqui as diferenças entre visualização Total e Restrita. Mas, resumindo:

Usuário: pode ver todos os dados e realizar algumas ações, mas não pode adicionar outros usuários. Um usuário precisa ser adicionado por um proprietário.

Há dois tipos de usuário:

Com acesso completo: tem direito de visualizar a maioria dos dados e pode realizar algumas ações.
Com acesso restrito: tem direito de visualização simples à maioria dos dados.

Se você estiver fazendo uma consultoria comigo, peço que me dê acesso Total!

É isso!

Você conseguiu. É fácil, né? Espero ter ajudado. Caso você tenha qualquer dúvida, estou à disposição!

Forte abraço e até a próxima.

Como é ser freelancer (1 ano e meio depois)

Como é ser freelancer (1 ano e meio depois)

Como É Ser Freelancer (18 Meses Depois)

Ser freelancer é interessante. Desafiador e todo dia diferente. Nós trabalhamos de casa, dos cafés, das lan houses, dos coworkings e até mesmo de dentro das empresas.

Estou chegando a marca de 18 meses de freelancer fulltime, em que eu trabalho remotamente desde Fevereiro de 2017. Nesses 18 meses (que passaram muito rápido, por sinal) eu aprendi muita coisa. Algumas boas lições e outras boas reflexões.

Vou passar minha opinião pessoal, até porque não fiz nenhuma pesquisa com outros (as) profissionais que trabalham da mesma forma.

Tentei separar abaixo as principais partes de ser um freelancer hoje em dia.

Custo Vs. Benefício

Financeiramente, ser um freelancer pode ser bom ou ruim. Porque você tem mais dinheiro na sua mão, mas não tem muitas garantias de que se tudo der errado, você vai ter uma reserva. Então depende de você cuidar de si próprio (em vários aspectos, na verdade).

Como freelancer eu venho recebendo mais dinheiro do que como CLT. Porém, o que está guardado como FGTS da minha época de proletário é um dinheiro que eu e meu desregrado controle financeiro não conseguiríamos fazer sozinhos!

Mas tem outros pontos importantes em ser um freelancer.

Conseguir Novos Clientes

Conseguir novos clientes sendo um freelancer não é necessariamente difícil se você está numa área boa. Posso dizer que, em SEO, se eu quiser trabalhar 7 dias por semana, eu tenho demanda para fazer isso. Então, o meu principal desafio é conseguir novos clientes que me paguem algo justo entre o que um freelancer part-time cobraria e o que uma agência cobraria.

Porque ao me contratar um cliente tem a experiência de quem já trabalhou em uma agência com um preço mais baixo. Mas não tão baixo a ponto de não valer a pena para que eu faça o serviço. É esse tipo de balanço que eu preciso fazer antes de passar um orçamento para um possível novo cliente.

Depender Só de Você

Para trabalhar como freelancer é fundamental que se perceba a diferença entre CLT e freelancer na questão do esforço: Enquanto no trabalho CLT você pode ter situações em que você se esforça e não vem benefício nenhum na sua direção, quando você é freelancer se você não se esforçar, nada vai vir para você.

Isso é importante porque muitas vezes quem migra da CLT para a vida freela não tem essa percepção e demora uns meses até pegar o ritmo. Por isso também se torna fundamental que, antes de fazer a transformação, que se tenha o valor de uns 3 meses de salário guardados (obviamente que não fiz isso e precisei correr atrás do prejuízo).

A opinião dos parentes

Minha mãe preferia mil vezes que eu tivesse um emprego CLT. Preferia porque agora ela entende que na minha vida de trabalhador remoto eu ainda tenho um emprego, ainda tenho responsabilidades e não sou um largado qualquer em casa.

Algumas coisas que eu faço para evitar que pensem isso de mim:

  • acordar todo dia cedo
    agora com o Pudim eu acordo todo dia às 06h30m da manhã. Mas, antes deles, eu acordava às 07h para começar a trabalhar às 08h.
  • tomar banho
    por mais que eu não vá interagir com ninguém, sempre tomo banho para acordar de vez e colocar o cérebro para funcionar.
  • tomar café
    sim, o combustível de todo o o mundo é o meu combustível também.
  • me arrumar
    colocar roupa bontinha, passar desodorante e perfume, cortar as unhas, essas coisas.
  • pentear cabelo
    essa parte da preguiça, mas sim, todo dia eu penteio o cabelo como se fosse sair de casa (meu cabelo é rebelde, por isso que merece entrar na lista).
  • usar crocs e meia
    porque se você não usa enquanto está em casa, você não é de Deus. E tenho dito.

Aí você começa a passar de “largado na vida” para “trabalhador em casa”. O que gera outros problemas que eu vou citar em outro artigo, haha.

O dia-a-dia é melhor

Vou só citar por cima porque tem milhões de artigo falando a mesma coisa:

  • não precisa pegar trânsito;
  • não come na rua todo dia;
  • se você fuma, pode fumar enquanto trabalha.
  • se você não fuma, não precisa conviver com fumantes;
  • fica menos doente, porque a gripe passa de departamento em departamento;
  • trabalha mais e se distrai menos (precisa ter foco);
  • pode ter horários flexíveis baseado em tarefas (se fez o que precisa até sexta, pode desligar o computador);
  • se precisar trabalhar no fim de semana é mais fácil. Sò ligar o computador e partir pro trabalho ;

Enfim, qualidades mil.

Se achou que eu esqueci de alguma, por favor, deixa nos comentários.

Direitos e Responsabilidades Trabalhistas

Outras garantias que a CLT traz são referentes aos direitos trabalhistas. Isso obviamente depende do seu contrato de trabalho. Meu contrato, por exemplo, garante grande parte dos direitos que a CLT traz, então nesse ponto eu fico bem tranquilo.

A parte das responsabilidades trabalhistas, entretanto, é a mais complicada: isso porque você não tem o backup de toda uma empresa para te ajudar a se cuidar. Como um trabalhador brasileiro você precisa se preocupar com vários impostos várias coisas.

Hoje eu trabalho com a JivoChat e nesse ponto estou bem mais tranquilo também. Mas, no começo, quando trabalhava de cliente em cliente fazendo freelas menores, a situação era mais complicada. Não havia uma segurança caso eu precisasse tirar uma semana para cuidar da saúde, por exemplo, ou ir ao banco resolver alguma questão burocrática da empresa.

Isso somado a outras questões como as burocráticas de abrir uma empresa, saber quando declarar seus impostos, receber seus pagamentos em dia e tantas outras coisas que nós precisamos cuidar caso estejamos sozinhos.

Muitos freelas abrem um MEI (MicroEmpreendedor Individual). Essa modalidade de empresa te permite ter um CNPJ, abrir uma conta e até mesmo contratar um funcionário. Ao ser freelancer solo, você precisa saber tudo que envolve a abertura do MEI, quando pagar os impostos e tudo mais. Ter um contador nessas horas é muito útil.

Herói e Vilão: Horários

Mais uma responsabilidade ao ser freelancer é cuidar dos próprios horários e evitar que a preguiça tome conta. No momento eu estou digitando este texto deitado, projetando a tela do celular na parede (MotoZ Play é massa demais) e digitando no meu teclado bluetooth (Logitech K380, recomendo de olhos fechados). Isso é ótimo: nunca poderia fazer assim num escritório com mais pessoas.

Porém, digamos que eu preciso ir ao banco, dentista, cabeleireiro e cartório. Na vida de freelancer, você não tem NENHUMA vantagem em fazer essas coisas. Os seus prazos não vão te esperar mas você precisa fazer mesmo assim. (Já falei que ter um contador é uma boa, né?)

Como conseguir novos clientes?

Eu falei acima que não é difícil conseguir novos clientes. Então como eu faço para consegui-los?

Existem várias estratégias e a principal delas é prestar um serviço de qualidade, que trará indicações para seu trabalho. Hoje mesmo recebi um contato no WhatasApp de um amigo de um ex-cliente, querendo contratar os serviços de SEO.

Atualmente eu tenho filtrados algumas dessas solicitações e passado para alguns amigos. Se você quiser receber alguns freelas desse, me adicione Linkedin para conversarmos.

Se você está começando agora, existem várias plataformas como 99freelas, UpWork, Freelancers.com e Workana para você conseguir os seus primeiros jobs. Vale destacar que dificilmente você vai conseguir ótimos freelas nessas plataformas, já que o pessoal que contrata por lá geralmente está a procura de bons profissionais a preço baixo.

Então, o caminho mais interessante, ao meu ver:

  1. começar em um 99freelas da vida
  2. ter o seu próprio site;
  3. desenvolver relacionamento com alguns clientes;
  4. pegar alguns depoimentos e colocar no seu próprio site;
  5. conseguir novos clientes via SEO.

Então, respondendo a pergunta inicial desse post: ser freelancer em 2018 não é fácil, mas eu prefiro do que trabalhar como CLT.

É isso! Gostou?

Meus artigos são sempre assim: simples, diretos ao ponto e sem enrolação. Podem ser que sejam simples demais, diretos demais e enrolados demais? Talvez!

Se você gostou e quer ler mais sobre a vida de freelancer ou os outros tópicos que eu abordo aqui no site, não deixe de se inscrever.

Como Internacionalizar Seu Site e Conteúdo Para Escalar Seus Negócios

Hoje em dia todos os negócios na Internet podem ser globais. A facilidade de contratar tradutores, escalar seu tráfego e suas vendas e fazer com que seus públicos sejam alcançados não importa onde morem ou que idioma falem é MUITO maior do que 5 anos atrás.

Pensando nisso, que importância tem a internacionalização (i18n) dentro da sua estratégia de SEO?

E, ainda além, por que usar links relativos sempre facilita muito nessa tarefa?

Como participante de muitas rodas de conversa sobre Marketing Digital (tanto em reunião com clientes quanto em papos de bar), presenciei uma questão frequente e que aumenta nos últimos anos: como escalar o seu negócio?

Nós, brasileiros, temos o rei na barriga quando se trata de mercado internacional. Raramente tocamos no assunto, já que temos um mercado com 200 milhões de possíveis clientes que falam nosso idioma. Além disso, o medo de tratar com uma logística internacional e com ainda mais burocracia faz muitos empreendedores não darem esse passo.

Mas, se você trabalha com um produto digital, a única coisa que te impede é sua falta de ação. Qual o problema em traduzir seu ebook para Português de Portugal, por exemplo? Você não quer ganhar em Euros, né? Entendi.

Disclaimer.
Internacionalização é uma palavra gigantesca. Por isso, vou revezar usando o encurtador i18n.

(i18n porque em Inglês é internationalization. Entre o “i” e o “n” tem 18 letras.) Obrigado pelo ensinamento, Clóvis Santos

Como Começar?

Como tudo em SEO, é necessário planejamento e expertise para que não haja necessidade de muito retrabalho no futuro.

Mas, pode-se dizer que é necessário os dois pontos abaixo:

  1. ter conteúdos similares em dois ou mais idiomas;
  2. relacionar esses conteúdos entre si.

Não se assuste, mas o ponto 2 é muito mais complicado que o ponto 1 e eu vou te explicar o porquê logo abaixo.

Ponto 1: ter conteúdos similares em dois ou mais idiomas

 

Voltando ao tópico: para ter um conteúdo internacional é, aparentemente, fácil. Basta você ter um conteúdo e transformá-lo em internacional. Você pode fazer isso de duas principais formas:

 

Apenas traduzindo de um idioma para outro;
Você pega o artigo sobre “as dez lojas virtuais mais famosas do mundo” e posta em Português do Brasil e Espanhol da Argentina. Ok, sem problemas. É uma forma de se fazer

Criando conteúdos localizados, personalizando por país;
Utilizando a mesma ideia, você cria dois artigos: um para o mercado da Argentina e outro para o mercado brasileiro. Eu prefiro essa estratégia, pois você está entregando pro usuário algo mais útil e que faz mais sentido para o dia a dia dele. A chance de compartilhamento é muito maior.

Como Começar Seu Conteúdo Focando na Internacionalização?

O conteúdo para internacionalização pode estar em um desses dois estágios:

A) você vai começar a criar os artigos agora, fazendo tudo do zero.

B) você já tem artigos e quer internacionalizá-los, criando as versões internacionais.

Meu ponto de vista que é melhor já começar certo, mas muitas (se não todas) as empresas mal fazem um plano de negócio, quanto mais pensam em expansão i18n antes mesmo do primeiro artigo em seus sites.

Resumo: apesar de preferir a opção A, provavelmente você vai se deparar com a opção B.

Ferramentas para Internacionalizar seu Conteúdo

Vamos partir do pressuposto que você quer traduzir e internacionalizar o conteúdo. Vou passar algumas ferramentas que conheço que podem te ajudar a realizar essa não tão difícil tarefa de gerenciar a tradução e adaptação do conteúdo de um site (e blog, provavelmente) para outros idiomas.

Google Sheets

Esquece o Excel. Você só quer ter uma planilhinha que vai compartilhar com os freelancers sobre o status de cada tradução, dos pagamentos e tudo mais.

Deixe seus freelancers só com poder de comentar nas células e seja feliz.

UpWork / 99 freelas…

Qualquer plataforma de freelancers vai te trazer uma baciada de profissionais que trabalham com isso remotamente. Não invente de contratar alguém alocado porque vai custar muito mais caro e se a pessoa ainda topa alocado é porque não tem experiência.

VoiceBunny

Muito legal esse serviço para quem faz narrações e precisa de traduções. Eles possuem atores de vozes em vários lugares do mundo e podem traduzir para você em até 4 horas. É incrível.

Se você tem um jingle e precisa adaptá-lo, é uma opção.

qTranslate WP

Se o seu site é em WordPress, o qTranslate é minha sugestão. Apesar de outras serem mais famosas, eu gosto dele por ser bem manual e permitir várias configurações boas para SEO.

Ponto 2: Relacionar Esses Conteúdos Entre Si

Agora que temos todos os conteúdos, vamos falar para o Google os buscadores que eles são versões alternativas de um mesmo tópico, mas em diferentes URLs.

A parte técnica, basicamente, se resume a:

 Toda página deve referenciar a sua versão em outros idiomas, quando e enquanto houver.

Essa referência pode se dar de várias formas e não vou entrar nesse ponto porque a documentação do Google já é monstruosa sobre isso. Mas você tem as opções de fazer isso no <head> de cada página ou pelo sitemap.xml (forma mais fácil, ao meu ver, porque depende mais do SEO do que do dev).

Para explicar os pormenores aqui, pensei em mostrar as perguntas que já ouvi sobre esse assunto:

Subdomínio ou subdiretório?

Lá vem essa pergunta de novo. Dá para fazer acontecer com as duas formas. Mas, se fosse para começar do zero um site internacional hoje, eu iria de subdomínios de um domínio .com, porque quando você acessa um site seu navegador informa o servidor sobre seu idioma e localização, aí o visitante pode ser redirecionado para a versão mais interessante. O que eu faria:

  • divulgaria mundialmente o meu site exemplo.com, que direcionaria:
    • para br.site.com quando os brasileiros acessassem;
    • para usa.site.com quando os gringos acessassem;
    • ca-en.site.com quando os canadenses que falam Inglês acessassem e ca-fr.site.com quando os francófonos acessassem.

fato curioso: a África do Sul tem 11 idiomas oficiais. Imagina os sites do governo lá!

Como fazer com artigos em diferentes versões do mesmo idioma? Tipo Inglês dos EUA e Inglês do UK?

Cada idioma tem seu código. en-US é diferente de en-UK, que é diferente de en-ZA e assim por diante. O mesmo se dá para Espanhol. Só dar um Ctrl+F nessa página da Wikipedia e partir pro abraço.

Quem pode me ensinar mais sobre isso?

Eu realmente sou fã do trabalho da Aleyda Solis (o engraçado que o site .com dela é em Espanhol e o .com/en é que é o em Inglês);

Vale muito a pena ler os slideshares dela e todo o conteúdo do site.

Por que não usar canonicals, se são versões parecidas da mesma página?

Ao usar canonicals você vai escolher entre duas páginas e essa não é sua intenção. Você quer que ambas rankeiem bem, em seus idiomas e países específicos.

Nesse caso, a canonical é auto referenciada (maioria das vezes) e aí os links do hreflang saem pra todas as versões.

E se eu tenho uma versão mobile em um site separado?

Espero que seu orçamento para SEO seja olhando o longo prazo! Bem, para sites mobile com versões separadas (os famosos m.site.com) a situação complica um pouco mas quase nada, se você se planejar direito.

Vamos imaginar o cenário mais caótico possível para mostrar que é possível. Além do m., o site ainda tem o blog em um subdomínio (blog.site.com) e o artigo é “dez ferramentas para SEO”.

versão desktop pt-br
blog.br.site.com/seo/dez-ferramentas-seo
versão mobile pt-br
m.blog.br.site.com/seo/dez-ferramentas-seo

versão desktop en-us
blog.usa.site.com/seo/ten-seo-tools
versão mobile en-us
m.blog.usa.site.com/seo/ten-seo-tools

Nesse caso, as URL’s mobile vão apontar para as versões em outros idiomas da versão mobile (m. sempre referenciando m.) e as suas próprias versões desktop (m. só referencia desktop quando for no mesmo idioma).

Mesma coisa com as versões Desktop: só referenciam mobile no próprio idioma e desktops em outros idiomas.

Para ficar ainda mais claro, ficaria como na imagem abaixo, onde o “alternate” é bem explicado aqui:

hreflang e alternate com exemplo

gráfico mostrando como dois sites relacionam

Links Absolutos ou Links Relativos?

Na minha experiência, na questão da internacionalização, links relativos facilitam o trabalho. A própria imagem acima mostra que links relativos facilitam também quando se tem um site mobile separado (m.site.com, no exemplo).

Conclusão

A estratégia de internacionalizar um site é poderosa, mas trabalhosa.

Você vai atingir novos mercados, públicos, vai ganhar tráfego e moral com os buscadores. Organizar o conteúdo dessa forma é tudo que eles mais incentivam.

Não se esqueça, porém, que a internacionalização de conteúdo é uma tarefa eterna e que deve ser incorporada à cultura da empresa. Os resultados serão vistos por todos e, se houver um milagre, vão lembrar do SEO que sugeriu essa loucura naquela reunião de 6 meses atrás!

E tem quem diga que SEO é só Titles e Descriptions …

Keywords Everywhere: a melhor extensão para Chrome com volumes de busca do Adwords

Keywords Everywhere: a melhor extensão para Chrome com volumes de busca do Adwords

Muitas estratégias de SEO tem como objetivo final trazer mais tráfego para o site. Ao mesmo tempo, muitos clientes pedem previsões de quanto de tráfego cada esforço que ele faz retornará para o seu site. Por isso, há uma grande quantidade de ferramentas e serviços que tentam acertar o volume de buscas das palavras-chaves.

Em resumo, basta você inserir uma palavra-chave que o site em questão vai te trazer quantas pessoas buscam por ele em um determinado período de tempo em uma determinada região. Algumas ainda aprofundam esses dados, trazendo a “Dificuldade”, ou seja, quanto mais competidores de alto escalão competirem por aquela palavra, mais difícil será que você conquiste ou mantenha as primeiras posições.

Quando se deve trazer volumes de busca para o cliente?

Como muitas coisas na Disciplina SEO, há controvérsias aqui. Há consultores que digam que uma vez no começo e em todos os relatórios mensais é necessário trazer um panorama de quantas visitas o cliente teve (puxando dados de Google Search Console e Google Analytics, por exemplo) e quantas ele pode ter caso venha a investir em termos como xyz e abc.

Já outra corrente do SEO diz que o volume de busca deve ser algo ignorado. É impossível determinar quantas pessoas realmente buscaram por aquela palavra e o Google não tem interesse direto em mostrar isso para os anunciantes de forma clara. Eu explico esse caso: O Google Keyword Planner, por exemplo, é uma ferramenta MUITO conhecida dos anunciantes e SEO’s. Porém:

O Google Keyword Planner só traz dados de busca que tiveram anúncio.

Ou seja: se a busca por ‘têns’ não tiver nenhum anúncio por 12 meses seguidos, o número de Volume de Busca cairá para zero. Mesmo que todo mundo continue pesquisando por ‘tênis’ no Orgânico.

Resultado de imagem para google images google keyword planner

Resultado de imagem para google images google keyword planner

Por isso, é importante saber o que está sendo medido e lembrar que, infelizmente para nós SEOs, o Google valoriza muito, mas muito, mas muito mais o Adwords do que a parte orgânica.

Mas eu quero saber o volume de busca mesmo assim!

Então, queridíssimo leitor, deixe-me sugerir uma extensão para Google Chrome que pode ajudar sua vida. Ela se chama Keywords Everywhere e funciona muito bem no Google Chrome e você pode baixá-la utilizando esse link: https://chrome.google.com/webstore/detail/keywords-everywhere-keywo/hbapdpeemoojbophdfndmlgdhppljgmp

Por que utilizar essa Keywords Everywhere ao invés do Google Keyword Planner?

Por ser uma extensão não proprietária do Google, a Keywords Everywhere traz um pouco de ousadia para o jogo, por assim dizer. A ferramenta mostra volume de busca em muitos lugares muito úteis, como, por exemplo:

Keywords Everywhere funcionando na SERP

As SERP (ou Search Engine Result Page, em Inglês) são as páginas de resultado de quando você pesquisa algo no Google. Elas podem aparecer de milhares formas diferentes, dependendo diretamente do que você busca, onde você está e o contexto do que foi pesquisado.

Mas, no propósito desse post, vale mostrar que a Keywords Everywhere aparece logo abaixo do termo buscado, mostrando o volume de busca do que foi pesquisado com facilidade.

Logo ao lado do índice de Competição (que vai de 0 a 1, onde 1 é o mais difícil de conseguir), há um ícone de estrela para você favoritar algumas buscas e poder acompanhar o desenvolvimento do Volume de Buscas que ela tiver com o passar do tempo.

Também funciona no Google Search Console

Geralmente, as 3 colunas em amarelo não aparecem no Google Search Console. Mas basta você ativar a extensão que, na mesma visão geral do Search Analytics você vai ver as palavras que você tem mais potencial de crescer a quantidade de cliques.

Vale a pena, nesta análise, verificar a quantidade de volume de busca que a palavra-chave em questão possui versus o tráfego que você consegue dela. Quanto maior for essa distância, mais você pode crescer para palavras que você já consegue tráfego.

Neste caso específico, a primeira e a segunda palavra-chave desta lista são muito parecidas, o que faz com que o Google Keyword Planner considere o mesmo valor de Buscas Mensais para elas.

Os desenvolvedores disseram que iam consertar isso de o Google querer agrupar as palavras-chave similares, mas aparentemente isso ainda não é verdade.

Onde mais eu posso utilizar o Keywords Everywhere?

  • Google Trends
    Ferramenta que mede o INTERESSE por determinados tópicos. Já falei sobre ele aqui no blog, mas, resumidamente, não é a mesma coisa que volume de busca. Basicamente a ferramenta fala sobre popularidade.
  • eBay
  • Answer The Public
    Outra ótima ferramenta para SEOs pois mostra queries relativas ao termo que você puser. O mote aqui é “responda o público” e ele dá as perguntas relacionadas àquele tema para você responder. Por exemplo, se você deixar o termo “carro 0km” ele provavelmente vai dizer “como comprar carro 0km?” “onde comprar carro 0km?” e, se você responder todas as perguntas, provavelmente vai se tornar relevante para essas buscas.
  • Google Keyword Planner
    Engraçado pensar, mas o Keywords Everywhere funciona dentro do próprio lugar onde ele puxa as informações, complementando e adicionando colunas aos dados.
  • Bing
    Funciona também no concorrente, por que não?
  • Etsy
  • Soovle
  • Google Search Console
  • YouTube
    SEO para Youtube é uma disciplina que tem crescido muito. Sempre se diz que o Youtube é a segunda maior ferramenta de buscas do mundo, atrás apenas do Google. Se considerarmos vídeos, o Youtube é de longe a maior plataforma no planeta, hoje.
  • Ubersuggest
    Ferramenta interessante para encontrar buscas similares às que você está fazendo. Com o complemento do Keywords Everywhere já adianta bastante o processo de uma pesquisa de palavras-chave inicial no projeto do cliente.
  • Majestic
    Ferramenta multi-uso para analisar links e reputação online, pode ajudar a saber quantas buscas outros domínios tem no Keyword Planner.
  • Google Analytics
    Muito útil ter a integração com o GA para fechar a “tríade” das métricas que um bom SEO precisa ter como base. Google Analytics, Google Search Console e Google Adwords (também é bom dar uma olhada ver como o dinheiro do cliente rende melhor para focar em SEO e tentar fazê-lo economizar um pouco…)
  • Amazon
    Maior ecommerce do mundo, sou fã dos caras pela facilidade em comprar e pela gama dos produtos.
  • Keyword Shitter
    Bem similar ao Ubersuggest.

Como começar a utilizar?

O passo à passo é bem simples:

  1. Baixar a extensão para Chrome aqui (ou a extensão para Firefox aqui);
  2. Pegar sua API. Basta deixar seu email que você recebe automaticamente
  3. Fechar e abrir seu Google Chrome, clicar COM O BOTÃO DIREITO na extensão e depois em Options. (ou copie e cole isso na sua URL: chrome-extension://hbapdpeemoojbophdfndmlgdhppljgmp/html/options.html)
  4. Cole sua API no campo API Key e clique em “Validate”. Depois, selecione o país que você deseja ver o Volume de Buscas;

Configurações Gerais da Ferramenta

Depois de inserir a API Key, você pode mexer um pouco na Keywords Everywhere para ver como ela funciona melhor para você.

Pontos Negativos da Ferramenta

Ela ainda não funciona 100% no Brasil ou com Português Brasileiro. Por isso, sugiro que enviemos um email para o desenvolvedor chamado Akash akash@keywordseverywhere.com com o texto.

“Dear Akash.

I read an article in https://www.pandraus.com/dicas/extensao-chrome-keywords-everywhere and I would like to join the effort to have Brazilian Portuguese data in your extension.

We have big interest in your tool and it would help us even more to be better at our jobs.

Thanks in advance,

O email basicamente diz que você leu este artigo e decidiu enviar um email para ele pedindo que a extensão também tenha dados em Português. Além disso, fala que nós brasileiros temos bastante interesse na ferramenta e que tê-la em Português do Brasil nos ajudaria em nossos trabalhos.

Clique Aqui Para Enviar Email

 

Google lança Snippet do Add URL

Quem trabalha com SEO sabe que o Add URL é uma mão na roda quando não temos tempo ou possibilidade de ir até o Google Search Console para enviar uma URL para o índice do Google.

Belo design de 1999, Google:

Printscreen do Add URL, ferramenta do Google para jogar URL no indice

gostei da parte do “anúncios imediatos”

Agora temos uma novidade na SERP

Ao pesquisar por “Add URL” no Chrome, vi esse resultado

 

printscreen do add URL aparecendo na página de pesquisa do Google diretamente

Snippet riquíssimo do ADD URL

Como usar o Add URL?

Basta colocar a URL que você quer adicionar. No caso, vou fazer o exemplo com a URL desse próprio artigo.

colocando a URL desse post no Add URL

usando o add URL direto do Google

O segundo passo é confirmar o Captcha (só fico pensando a quantidade de SPAM que teria se não fossem esses malditos captchas)

captcha para adicionar URL no Google

esse é o primeiro de dois captchas que aparecem na tela

Aí, finalmente, você terá a sua URL adicionada ao Google. Porém, vem o aviso de que “A Página pode não ranquear imediatamente nos resultados do Google, mas podem melhorar com o tempo. Monitore o tráfego de busca do seu site no Google Search Console.”

"A Página pode não ranquear imediatamente nos resultados do Google, mas podem melhorar com o tempo. Monitore o tráfego de busca do seu site no Google Search Console."

“A Página pode não ranquear imediatamente nos resultados do Google, mas podem melhorar com o tempo. Monitore o tráfego de busca do seu site no Google Search Console.”

Vale a pena usar essas ferramentas de indexação?

Outras formas de ter essas páginas encontradas rapidamente são:

  1. Usar sitemaps.xml pequenos e que se atualizam automaticamente, deixando as páginas mais recentes em primeiro. Assim o Google se interessa por esses sitemaps e os visita frequentemente.
  2. Linkagem interna de qualidade que faça com que o Google encontre essas URL’s novas com facilidade. Não se esqueça da versão mobile do seu site nesse aspecto!
  3. Linkagem externa de qualidade. O UOL é visitado pelo robô do Google frequentemente. Se ele encontra um link seu lá, vai começar a se interessar por você também;
  4. Anúncios: queira ou não queria, o anúncio está lá disponível na hora que você quiser e trazer tráfego para páginas novas é sempre uma boa pedida.
  5. Google Search Console: por último mas não menos importante, o nosso antigo Google Webmaster Tools tem a função Buscar como o Google e que, depois permite o envio das URLs.
  6. Robots.txt: não deixe os buscadores rastrearem seu site e darem de cara na parede. Você pode bloquear o rastreio de seções ou páginas do site usando regras avançadas do arquivo robots;
  7. Mantenha seu site atualizado: evite ter páginas 404 espalhadas por todos lados para que o robô do Google não diminua sua taxa de rastreio.