Escolha uma Página
Como é ser freelancer (1 ano e meio depois)

Como é ser freelancer (1 ano e meio depois)

Como É Ser Freelancer (18 Meses Depois)

Ser freelancer é interessante. Desafiador e todo dia diferente. Nós trabalhamos de casa, dos cafés, das lan houses, dos coworkings e até mesmo de dentro das empresas.

Estou chegando a marca de 18 meses de freelancer fulltime, em que eu trabalho remotamente desde Fevereiro de 2017. Nesses 18 meses (que passaram muito rápido, por sinal) eu aprendi muita coisa. Algumas boas lições e outras boas reflexões.

Vou passar minha opinião pessoal, até porque não fiz nenhuma pesquisa com outros (as) profissionais que trabalham da mesma forma.

Tentei separar abaixo as principais partes de ser um freelancer hoje em dia.

Custo Vs. Benefício

Financeiramente, ser um freelancer pode ser bom ou ruim. Porque você tem mais dinheiro na sua mão, mas não tem muitas garantias de que se tudo der errado, você vai ter uma reserva. Então depende de você cuidar de si próprio (em vários aspectos, na verdade).

Como freelancer eu venho recebendo mais dinheiro do que como CLT. Porém, o que está guardado como FGTS da minha época de proletário é um dinheiro que eu e meu desregrado controle financeiro não conseguiríamos fazer sozinhos!

Mas tem outros pontos importantes em ser um freelancer.

Conseguir Novos Clientes

Conseguir novos clientes sendo um freelancer não é necessariamente difícil se você está numa área boa. Posso dizer que, em SEO, se eu quiser trabalhar 7 dias por semana, eu tenho demanda para fazer isso. Então, o meu principal desafio é conseguir novos clientes que me paguem algo justo entre o que um freelancer part-time cobraria e o que uma agência cobraria.

Porque ao me contratar um cliente tem a experiência de quem já trabalhou em uma agência com um preço mais baixo. Mas não tão baixo a ponto de não valer a pena para que eu faça o serviço. É esse tipo de balanço que eu preciso fazer antes de passar um orçamento para um possível novo cliente.

Depender Só de Você

Para trabalhar como freelancer é fundamental que se perceba a diferença entre CLT e freelancer na questão do esforço: Enquanto no trabalho CLT você pode ter situações em que você se esforça e não vem benefício nenhum na sua direção, quando você é freelancer se você não se esforçar, nada vai vir para você.

Isso é importante porque muitas vezes quem migra da CLT para a vida freela não tem essa percepção e demora uns meses até pegar o ritmo. Por isso também se torna fundamental que, antes de fazer a transformação, que se tenha o valor de uns 3 meses de salário guardados (obviamente que não fiz isso e precisei correr atrás do prejuízo).

A opinião dos parentes

Minha mãe preferia mil vezes que eu tivesse um emprego CLT. Preferia porque agora ela entende que na minha vida de trabalhador remoto eu ainda tenho um emprego, ainda tenho responsabilidades e não sou um largado qualquer em casa.

Algumas coisas que eu faço para evitar que pensem isso de mim:

  • acordar todo dia cedo
    agora com o Pudim eu acordo todo dia às 06h30m da manhã. Mas, antes deles, eu acordava às 07h para começar a trabalhar às 08h.
  • tomar banho
    por mais que eu não vá interagir com ninguém, sempre tomo banho para acordar de vez e colocar o cérebro para funcionar.
  • tomar café
    sim, o combustível de todo o o mundo é o meu combustível também.
  • me arrumar
    colocar roupa bontinha, passar desodorante e perfume, cortar as unhas, essas coisas.
  • pentear cabelo
    essa parte da preguiça, mas sim, todo dia eu penteio o cabelo como se fosse sair de casa (meu cabelo é rebelde, por isso que merece entrar na lista).
  • usar crocs e meia
    porque se você não usa enquanto está em casa, você não é de Deus. E tenho dito.

Aí você começa a passar de “largado na vida” para “trabalhador em casa”. O que gera outros problemas que eu vou citar em outro artigo, haha.

O dia-a-dia é melhor

Vou só citar por cima porque tem milhões de artigo falando a mesma coisa:

  • não precisa pegar trânsito;
  • não come na rua todo dia;
  • se você fuma, pode fumar enquanto trabalha.
  • se você não fuma, não precisa conviver com fumantes;
  • fica menos doente, porque a gripe passa de departamento em departamento;
  • trabalha mais e se distrai menos (precisa ter foco);
  • pode ter horários flexíveis baseado em tarefas (se fez o que precisa até sexta, pode desligar o computador);
  • se precisar trabalhar no fim de semana é mais fácil. Sò ligar o computador e partir pro trabalho ;

Enfim, qualidades mil.

Se achou que eu esqueci de alguma, por favor, deixa nos comentários.

Direitos e Responsabilidades Trabalhistas

Outras garantias que a CLT traz são referentes aos direitos trabalhistas. Isso obviamente depende do seu contrato de trabalho. Meu contrato, por exemplo, garante grande parte dos direitos que a CLT traz, então nesse ponto eu fico bem tranquilo.

A parte das responsabilidades trabalhistas, entretanto, é a mais complicada: isso porque você não tem o backup de toda uma empresa para te ajudar a se cuidar. Como um trabalhador brasileiro você precisa se preocupar com vários impostos várias coisas.

Hoje eu trabalho com a JivoChat e nesse ponto estou bem mais tranquilo também. Mas, no começo, quando trabalhava de cliente em cliente fazendo freelas menores, a situação era mais complicada. Não havia uma segurança caso eu precisasse tirar uma semana para cuidar da saúde, por exemplo, ou ir ao banco resolver alguma questão burocrática da empresa.

Isso somado a outras questões como as burocráticas de abrir uma empresa, saber quando declarar seus impostos, receber seus pagamentos em dia e tantas outras coisas que nós precisamos cuidar caso estejamos sozinhos.

Muitos freelas abrem um MEI (MicroEmpreendedor Individual). Essa modalidade de empresa te permite ter um CNPJ, abrir uma conta e até mesmo contratar um funcionário. Ao ser freelancer solo, você precisa saber tudo que envolve a abertura do MEI, quando pagar os impostos e tudo mais. Ter um contador nessas horas é muito útil.

Herói e Vilão: Horários

Mais uma responsabilidade ao ser freelancer é cuidar dos próprios horários e evitar que a preguiça tome conta. No momento eu estou digitando este texto deitado, projetando a tela do celular na parede (MotoZ Play é massa demais) e digitando no meu teclado bluetooth (Logitech K380, recomendo de olhos fechados). Isso é ótimo: nunca poderia fazer assim num escritório com mais pessoas.

Porém, digamos que eu preciso ir ao banco, dentista, cabeleireiro e cartório. Na vida de freelancer, você não tem NENHUMA vantagem em fazer essas coisas. Os seus prazos não vão te esperar mas você precisa fazer mesmo assim. (Já falei que ter um contador é uma boa, né?)

Como conseguir novos clientes?

Eu falei acima que não é difícil conseguir novos clientes. Então como eu faço para consegui-los?

Existem várias estratégias e a principal delas é prestar um serviço de qualidade, que trará indicações para seu trabalho. Hoje mesmo recebi um contato no WhatasApp de um amigo de um ex-cliente, querendo contratar os serviços de SEO.

Atualmente eu tenho filtrados algumas dessas solicitações e passado para alguns amigos. Se você quiser receber alguns freelas desse, me adicione Linkedin para conversarmos.

Se você está começando agora, existem várias plataformas como 99freelas, UpWork, Freelancers.com e Workana para você conseguir os seus primeiros jobs. Vale destacar que dificilmente você vai conseguir ótimos freelas nessas plataformas, já que o pessoal que contrata por lá geralmente está a procura de bons profissionais a preço baixo.

Então, o caminho mais interessante, ao meu ver:

  1. começar em um 99freelas da vida
  2. ter o seu próprio site;
  3. desenvolver relacionamento com alguns clientes;
  4. pegar alguns depoimentos e colocar no seu próprio site;
  5. conseguir novos clientes via SEO.

Então, respondendo a pergunta inicial desse post: ser freelancer em 2018 não é fácil, mas eu prefiro do que trabalhar como CLT.

É isso! Gostou?

Meus artigos são sempre assim: simples, diretos ao ponto e sem enrolação. Podem ser que sejam simples demais, diretos demais e enrolados demais? Talvez!

Se você gostou e quer ler mais sobre a vida de freelancer ou os outros tópicos que eu abordo aqui no site, não deixe de se inscrever.